6 de jun de 2010

Mudanças? Não!

"O amor é por natureza avesso à mudança, mesmo quando ela é pequenina. Certamente que o amor é profundo, mas também carrega profunda convicção." Zarah Ghahramani (1981 -), escritora iraniana, in: Minha Vida Como Traidora (My Life as a Traitor).

E vocês, o que acham?

Pessoal, perdão pela demora em postar, é que estava com dor de dente, na verdade ainda dói muito. Dói o dente, e a cabeça e o ouvido. Mas não poderia faltar com o compromisso, então cá estou. Sempre achei que o amor é conservador, pois se quem amamos muda, nos sentimos feridos. Mas amar é saber reconhecer o direito ao outro de fazer o que quer, então não podemos barrá-lo e obrigá-lo a ser o que esperamos dele.

Até o próximo domingo!

Monsieur Cvet z Juga

5 comentários:

Debor@h disse...

Querido Monsieur,

Espero que esteja melhor da dor de dente, se nao passar va ao medico!!!

O amor e fragil, delicado, talvez a melhor coisa do mundo e tb a mais complicada, mas que nao podemos viver sem. Devemos sempre respeitar e amar o outro como amamos a nos mesmo, nao a mais, nao a menos. Mil bjs a vc! Se cuida!

Alyne disse...

É meu querido...o amor...
Amamos, amamos e amamos...mas ele sempre surpreende.
Espero que esteja melhor...dor de dente nesse frio..aff..

Vivi Rosada disse...

em primeiro lugar espero q esteja bem, q a dor tenha passado...
em segundo lugar amei e o importante não é o tamanho da msg e sim o q ela nos transmite ou provoca em nós.
esse direito do outro fazer o q quer eu entendo na teoria...rs mas na pratica, claro q deixo sim a pessoa livre, da uma pontinha de nó na garganta, mas creio q isso aconteça pela posse q costumamos tomar pelo ser q esta ao nosso lado...isso tem q ser trabalhado em nossas cabeças, mas ainda não consigo ser um ser evoluido para tanto.rs

melhoras beijosss e boa semanaaa

Hakime Goul Djounoubi disse...

Deborah:
Sheli, é verdade, devemos respeitar, no amor, até porque se queremos ser respeitados, é essa a base.

Alyne:
Verdade, o amor surpreende4, e ás vezes as mudanças são um choque mesmo.

Vivi Rosada:
Também acho que o importante na mensagem não é o tamanho. E eu sou como tu, um pouco avesso á mudanças no amor (embora nem deixe notar, talvez por medo, e medo de ser o que se é no amor é algo que se tem que erradicar!). Mas estou a trabalhar isso, a verdade é que cada um deve ser livre, nunca preso.

A todas:
Estou melhor da dor sim, em breve vou ao dentista. Obrigado pelo carinho. Dor de dente no frio é um inferno...

Carolina disse...

Dizer que o amor é uma constante é uma grande falácia. Lógico que se mudamos, o amor que temos pelo nosso parceiro (a) muda. É mais do que normal mudarmos, somos seres em evolução. Tk God!
Só que mudar não necessariamente quer dizer diminuir o sentimento, qdo estamos com alguém há algum tempo é normal que haja transformações. O amor tem sus fases.
O que é constante é a lealdade, não a velocidade do amor.

bjos meus