16 de mai de 2010

Quando eu fui Conselheiro Amoroso


Este post eu publiquei no meu blogue há alguns meses atrás... No fim das contas, o homem acabou por seguir o meu conselho e tudo deu certo; pena que ele tenha sido obrigado a mudar de cidade por questões de trabalho, mas isso já é outra história. O importante, na minha opinião, é sempre a sinceridade, em qualquer situação. Leiam e vejam se vocês não concordam comigo.

Pessoal, nem imaginam o que me aconteceu ontem de noite! O meu supervisor me pediu conselhos sobre sua vida sentimental. Dá p'ra acreditar?

Deixa eu esclarecer antes. Eu trabalho numa firma muito grande, uma fábrica de alimentos. Tem primeiro, segundo e terceiro turnos, e eu fico à noite. São muitos os colegas de trabalho. Mas, o meu supervisor (um senegalês, que muitas vezes fala comigo em francês), sem que eu precisasse "puxar o saco" dele se tornou meu amigo. Puxa-saquismo nunca foi coisa que eu faça. É que uma vez eu traduzi a ele uma carta, que depois ele enviou e através dela recebeu boas notícias. Desde então ele me respeita e me concidera bastante.

Foi assim: ele me chamou na salinha e começou a dizer que tinha uma namorada, mas que a traiu com a amiga dela. A amiga, pediu a ele que guardasse segredo e não contasse a ninguém. Porém, ela mesma foi quem disse isso à namorada dele, que ele a traiu com ela. Estão entendendo? Aí, a namorada do meu supervisor perguntou-lhe se era verdade, o que ele negou. Depois, a amiga foi visitar de novo ele em sua casa, e os dois dormiram juntos mais uma vez. Foi o fim, a namorada o largou (bem que o safado mereceu, né!).

Ele me pergunta:
- O que tenho que fazer p'ra que ela volte p'ra mim?
Na mesma hora eu respondo: "Diz a verdade a ela!"

Aí, eu disse a ele que, caso ainda ela pense em voltar, é claro, a única maneira de convencê-la seria assumir o que ele fez e prometer não fazer mais. Eu falei a ele: "Ponha-se no lugar dela - se ela te traísse, tu ias gostar?" Ele ficou surpreso com a minha maneira de raciocinar e prometeu que ia proceder dessa forma. Eu desejei boa sorte. O mais impressionante de tudo é que ele já tem quase 40 anos, e eu só 22. Até agora estou besta, não consigo acreditar que alguém tão mais velho me peça assim um conselho sobre mulher. E olha que até hoje eu tive poucos relacionamentos! Mas fico contente por poder ajudar. Expliquei a ele que mentir as coisas na cara dura só serve para enfurecer os outros, e disse que talvez assumir a verdade traga esperanças. Vamos ver no que é que dá...

5 comentários:

Sac do Amor disse...

Quando eu postei este texto, eu coloquei a etiqueta: TRAIÇÃO, acho que tem tudo a ver, já que aqui no Sac do Amor estamos a fazer uma pesquisa e o assunto é justamente este, se tu já traiste o teu par.

Eu nunca traí, mas já fui traído. Tem casais que se dizem "liberais", aceitam que o cônjuge passe momentos com outra pessoa, e até dizem que isso apimenta a relação, só que pra mim isso não vai! Definitivamente, dói muito receber chifres na cabeça.

Eu, se fosse a namorada do meu supervisor, não teria perdoado. Vejo que tem muitas mulheres que perdoam traição de seus maridos e parceiros, e eu tenho é dó dessa gente que aceita ser traída! Deus que me livre!

Sac do Amor disse...

PS.: Aqui é o Monsieur!

Debor@h disse...

Querido Monsieur,

Eu me lembro deste seu post e achei genial que seu supervisor seguiu seus conselhos e deu tudo certo. Tb concordo que ser sincero é fundamental em uma relação, se não existe confiança não se tem nada e eu não perdoaria ser feita de besta com certeza, e digo por experiência. Bjs amigo!

Tatinha disse...

Bom dia meu povo... Passando somente para desejar um domingo cheio de muitas coisas boas!
beijos em todos!

Madame disse...

A verdade sempre compensa...coitada da namorada dele ne...
Vc foi um conselheiro de mao cheia!