9 de mai de 2010

Finalmente um Homem!

Olá a todos. O meu nome é Monsieur Cvet z Juga, Senhor Flor do Sul. Tenho 23 anos, cabelos ruivos (pintados), e vivo no Paraná. Meu signo é capricórnio, minha cor favorita é azul e a comida é macarrão e doce de leite como sobremesa. Sou poeta nas horas vagas. O que eu mais gosto de fazer é dormir (tanto faz sozinho ou acompanhado). Antes que alguém pergunte, sou gay, sim, e estou comprometido. Sou o primeiro homem aqui.

Conheci este blogue recentemente e fui convidado a entrar, por sugestão de Madame X. Quando fizeram uma enquete para saber se os leitores eram favoráveis a um homem no Sac, 100% dos votos responderam "sim", e cá estou eu. Sinto-me honrado em poder participar. Publicarei aos domingos, e ainda não sei bem como farei, o que é que escreverei... mas isso virá com a prática, espero.


Que tal se eu começar falando de amor? Nada mais adequado, não é mesmo? Então lá vai:
Na minha opinião, o amor é complicado. Complicado porque, por um lado é muito simples - nós precisamos, queremos, experimentamos esse sentimento. Porém, não é tão simples assim manifestar nosso amor, quando ele nos pede para ser deixado livre, sem falar que a reacção de quem recebe ou percebe esse amor pode se chocar com o nosso amor, por obstáculos em seu caminho. Assim, o que eu vejo é que todos sabem o que é o amor, e todos já passaram por experiências de amar em suas vidas, mas poucas vezes o amor é 100% garantia de felicidade, e é este o seu objectivo.

Sou como um daqueles bichinhos que buscam a luz, um térmita (ou cupim). Nós aqui do Brasil o conhecemos como aleluia, e ele invade a casa de noite, enchendo a nossa paciência, a caçar cada lâmpada acesa que encontra para voar em círculos em volta da luz. Eu sou desse jeito quando o assunto é amor.

Nunca deu certo o amor p'ra mim. Meu primeiro romance foi um desastre total, e até hoje me dói lembrar. Era uma relação onde apenas uma das partes (a minha) dava, sem da outra nada receber. Agora, estou a namorar um homem mais velho, e se der certo connosco, em breve iremos morar juntos. Quero muito que dê certo, ele é uma pessoa maravilhosa.

Próximo domingo estarei de volta. Um abraço a todos.

7 comentários:

Debor@h disse...

MOnsieur Cvet z JUga, que nome e esse menino do ceu haha, acho que nunca poderei pronunciar isso haha, Adorei sua presenca aqui e sua sinceridade como sempre nos seus posts, e que venham muitos outros pela frente. Beijosssss

Paulo Braccini disse...

Parabéns ao Sac do Amor e suas Madames pela escolha do MOnsieur ... já conhecia o blog e sou um dos seus admiradores ... sem dúvida aumentou a riqueza deste espaço ...

Acho que sua visão do amor ainda está um pouco imatura, o q é mais que natural para um jovem como vc ... o Amor, em sua real e verdadeira face á algo simples ... ele acontece e devemos nos permitir sermos tocados por ele ... depois é só vivê-lo em sua simplicidade mas com humildade, cumplicidade, tolerância e perdão ...

bjux às meninas e à vc querido Abdul ...

;-)

Abdoul Hakime Goul Djounoubi disse...

Obrigado, Deborah, pelo estímulo. Acho que quando eu precisar, afogarei as mágoas aqui, só pode ser isso que vai acontecer!

Beijos a todos os que lerem e até o próximo domingo.
Pensarei em algo interessante para postar.

Sac do Amor disse...

Bem Vindooooooo.....

Madame Mandy

Abdoul Hakime Goul Djounoubi disse...

Paulo, tu és um amor, sabia?
Eu sei que a minha visão do amor é imatura ainda, é verdade isso. Mas faltou treino, né, me dá um pouco mais de tempo, pô!

Madame Mandy, muito obrigado pelo carinho. Estou ainda a pensar no que postar semana que vem, mas fica tranquila que estou empolgado.

Beijos.

Madame disse...

Adorei sua descrição do amor, ate pq cada um ve o amor de um jeito só seu!

Adorei adorei adorei!

bjussss

Janaina Saraiva e Lucillena Martinez disse...

Querido Monsieur,
Obrigada pelo comentário em meu blog e vc tem toda razão, aos HOMENS também o alerta. Quanto à metastase, quer dizer que houve a formação de nova lesão tumoral, sendo assim, formam-se "colônias" de tumores por outras partes do corpo. Dependendo do caso, se não for diagnosticado em tempo, o paciente vem a óbito.
Bjs, Janaina Saraiva