18 de jul de 2010

Não é só "Aquilo"

Caros leitores e leitoras do nosso blogue, tinha prometido à Ivana, de Porto Velho, que este Domingo ia postar uma resposta ao seu e-mail do dia 12 de Julho, e só agora é que deu tempo.

Muito bem, resumindo o seu e-mail, o seu caso é este que está abaixo (nome e cidades foram trocados, em respeito à sua privacidade).


 Olá. Eu me chamo Ivana, tenho 20 anos, sou de Porto Velho - RO, e estou no penultimo ano para terminar minha faculdade de direito, mas não termino com meus dilemas...
 
Venho pedir um auxílio de vocês e dizer que há quase um mês que descobri a jóia rara do SAC do Amor e sou fã mesmo, todo dia entro e olho a mensagem que vocês tem pra passar...adoro todos os conselhos e todas as histórias, sempre muito parecidas com as minhas!
 
Enfim...estou aqui porque quero tentar remediar um defeito meu...sei lá se é defeito... tomem como base uma recente postagem no SAC... chamem o bombeiro para apagar o meu fogo!
 
Conheci um rapaz na faculdade, logo no início do curso. Ficamos juntos várias noites, foi um contato mais sexual, e eu acabei por me apaixonar. No início ele tinha namorada, porém terminou com ela faz alguns meses já e aproveitei a deixa para abrir meu coração. Ele porém disse que ainda gostava dela, e tive que compreender. Agora, conheci recentemente, nas idas e vindas da vida, um rapaz que é parente dele, fui dando corda e ele se aproximou.

Acontece que, como com o primeiro dessa história, eu não quero só a parte sexual da relação, que embora acabe predominando, não exclui meu desejo de uma relação séria, um compromisso. Quero dizer isso a ele, e na última vez recusei um convite seu para ir me encontrar em sua casa, porque senti que não seria legal. Também tenho um namorado que vejo só de vez em quando, quando volto para Recife, visitar minha família que mora lá. Raramente temos contato.

Gostaria de saber o que fazer para que este rapaz com o qual estou agora queira o mesmo que eu: algo sério, não somente sexo. Por favor, me dêem dicas. Obrigada, Ivana.

Ivana, que bom que tivestes coragem de compartilhar as tuas dúvidas conosco. Obrigado pela confiança. :)

Serei sucinto desta vez, porque tenho um certo receio de não ter entendido bem o teu relato, e peço desde já desculpas por quaisquer erros no resumo, ok?

Se o que tu desejas com ele é algo sério, isso demonstra que estás amadurecendo, aos poucos. Tens que saber se é mesmo isso que ele quer, assim como tu.

O primeiro passo tu já destes, que foi ter dito a tua vontade. E, se não queres passar a impressão de quereres só sexo, seria bom que vocês tivessem programas fora da casa dele ou da tua, num ambiente mais público, até por uma questão de ele se acostumar a te encontrar na presença de outras pessoas. Caso nem sempre isso seja possível, tenta conversar com ele pelo telefone, aceitando sim seus convites para ir à sua casa, mas já deixando claro que o teu objetivo é conversar, ficar com ele, conhecê-lo. Tenho certeza que ele aceitará se gostar de ti! ;)

Sobre o teu caso com o rapaz de Recife, aconselho a largar. Não senti firmeza. Acho que no fundo estás com ele por comodismo. Se já sabes de quem tu gostas, fica com o outro, este aí mesmo da tua cidade.

Abraços e qualquer dúvida extra é só nos mandar por e-mail! Au revoir! 



4 comentários:

Fabrício Santiago disse...

Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Fabrício e cheguei até vc através do Blog do Depois do Divã. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir meu blog Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. Estou me aprimorando, e com os comentários sinceros posso me nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs



Narroterapia:

Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.


Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.


Abraços

http://narroterapia.blogspot.com/

Debor@h disse...

Monsieur, seu conselho foi direto e no ponto na minha opinião, espero que a Ivana resolva essa situação, acho que terminar com o namorado do Recife é fundamental para começar do zero e dizer o que quer para não haver dúvidas no novo relacionamento. Boa sorte à ela e beijos aos dois!

Sac do Amor disse...

Riii...suas dicas para leitora foram fantásticas. Primeiro, achei importante pontuar a importância de expôr o que de fato quer. O outro não tem bola de cristal..rs
Quanto ao namorado que está em outro Estado...nada haver...é um Porto seguro em Recife...
Penso que um bom diálogo é sempre a melhor resposta...
Parabéns Monsieur...ótima semana pra ti.
Madade Cleópatra.

Anônimo disse...

Monsieur.. adorei o resumo de minha história... e seu conselho... já deixei claro o q quero com o novo rapaz da minha cidade.. só que surgiram outros contratempos...q lhe enviarei o email para sanar mais dúvidas...! mas adorei s conselhos e a atenção que vocês tem para conosco leitoras...! no momento estou em Recife, passando uns diaszinhos de férias e tentando resolver minha vida!
Bjões!