23 de mar de 2010

Medo de Errar



No primeiro encontro a ansiedade toma conta. Pensa milhões de coisas e fica imaginando como será.

Você começa pensando no tempo: será que vai chover? Seria bom levar um guarda-chuva. E se esfriar? É melhor levar também uma blusa.

Que roupa usar? Qual delas será a melhor? Sua roupa deve estar impecável, sua aparência idem, tudo tem que estar perfeito, nos mínimos detalhes!

Antes de sair, você vai passar horas na frente do espelho fazendo caras e bocas, vai imaginar todas as situações possíveis de  acontecer (se a pessoa falar isso ou aquilo...vou passar a mão no cabelo três vezes, vou cruzar apenas a perna direita, não vou colocar o cotovelo na mesa, blablabla) e planejar o melhor jeito de se comportar para que cause perfeita impressão possível. Você não pode errar tudo tem que sair conforme planejado.

Para quem tem medo de errar tudo tem que estar perfeito.
Isso vai acontecer sempre em vários momentos da vida para a pessoa que não aceita errar.

Querer que as coisas dessem certo é normal, mas uma hora ou outra pode não dar certo e as coisas não saírem conforme planejado.
Ai começa a luta mental: “Onde foi que eu errei?” “Por que não tomei cuidado!”.


Muitas pessoas ficam  tentando prever o que fazer para não errar e, na maioria das vezes, errando e sofrendo.Perdem um tempo enorme de suas vidas, muitas vezes deixam de viver momentos incriveis por estarem ocupadas com seus pensamentos e planos.E elas jamais se conscientizam de que a vida é imprevisível, e que quase sempre tudo dá errado.

Uma coisa você tem que lembrar: ninguém é perfeito, todos erram.
Que graça teria a vida se a gente fizesse tudo certinho? Iríamos aprender alguma coisa?
Você errou? Aceite seu erro e aprenda alguma coisa com ele e tentar não errar na próxima.
Pra que ficar se martelando?
Se o seu encontro não deu certo, o próximo dará.
Você se preparou toda e deu seu melhor e ainda assim não rolou? Então o problema não é você.
Eu já me vi inúmeras vezes me culpando por coisas que não estava no meu controle e você leitor já deve ter passado também.
Como diz minha psicóloga do coração, temos que separar o que é meu e o que não é.
“Eu fui grosseira?” Isso é meu, minha culpa!
“Fui super gentil, amigável, simpática?” Isso não é seu!

A vida já é tão cheia de problemas e coisas para se preocupar, porque levar problemas e situações que não são da nossa alçada?

Fica a dica.

Pra você que me ama.

Madame Muááá

Um comentário:

Anônimo disse...

Madame Muááá
teu post de hoje
é praticamente uma consulta particular coma melhor psicologa do planeta...humm
achei a consulta de uma qualidade indiscutível, pago sem questionar.

amei Madame Muááá, amei
tu é tudo de bom


Madame,
Muááá pra você